Construindo a cidadela interior

Todos nós buscamos um lugar onde podemos nos sentir seguros, um lugar onde podemos correr sempre que precisarmos e nos sintamos cansados. Para algumas pessoa esse lugar é uma viagem a praia, para outras, esse lugar se encontra em uma casa no campo ou ainda no topo de uma montanha.

A cidadela interior é a alegoria das capacidades internas nossa de nos auto sustentarmos emocionalmente e existencialmente. Nessa cidadela interior encontramos refúgio para os momentos de dificuldades na vida. E como há momentos difíceis na vida, não é mesmo?

Você pode achar que dinheiro, fama ou status social são suficientes para lhe trazer conforto em momentos difíceis, porém eu gostaria de lhe informar que infelizmente a realidade não é assim. Claro, que dinheiro traz conforto, e pode nos proporcionar uma vida mais confortável, porém, a grande satisfação interna só é alcançada quando somos capazes de desenvolver o contentamento interno.

Os estoicos

Dentre as várias escolas de filosofia, vários filósofos com teorias complexas, nós podemos tirar grandes lições dos estoicos. Esses filósofos gregos ali por volta do século 1 após Cristo, são chamados de Os Filósofos Herois. Esses filósofos gregos sofreram os mais difíceis obstáculos na vida, e por isso, se sentiram na necessidade de desenvolver um sistema filosófico que fosse capaz de trazer tranquilidade, resiliência e serenidade para o interior.

Seus maiores exponentes foram Sêneca, Marco Aurélio e Epiteto. Não tenho aqui pretenção de aprofundar na filosofia estoica, para isso, eu te motivo a pesquisar um pouco sobre esses autores. Tenho certeza de que você encontrará várias passagens muito práticas para driblar as dificuldades da vida.

Entre as várias teorias estoicas, uma das mais interessantes é a construção da cidadela interior. Essa metafora mostra que temos muito pouco controle dos eventos exteriores a nós. Aliás, temos muito pouco controle dos inúmeros eventos que nos acontecem no dia a dia, porém, como dizem os estoicos, nós temos controle de como nós podemos responder a esses eventos.

Diante de uma dificuldade, nós podemos nos sucumbir no desespero ou podemos encarar com uma atitude heroica e procurar resolver, ou passar por esse momento difícil da forma mais tranquila possível.

Os estoicos insistem que devemos controlar as nossas emoções, ou pelo menos, devemos desenvolver a capacidade de não sermos puxados pra lá e para cá pelas emoções. As emoções em si não são ruins, entretanto é urgente que tenhamos a autonomia sobre nós mesmo, e para isso, as emoções precisam ser apaziguadas.

Uma das técnicas estoicas para isso é se perguntar sempre que sentir com as emoções a flor da pele a seguinte frase “essa situação realmente corresponde ao desgaste emocional que estou no momento?”. Em outras palavras, vale a pena se desgastar emocionalmente por pequenos aborrecimentos do dia a dia?

Ao começarmos a nos questionar sobre a forma como respondemos as adversidades do dia a dia, nós iniciamos um processo de ponderão interior, onde nossas emoções não nos arrastam para todo canto, e sim conduzimo-as. Essa é a forma como os estoicos viam a vida. Organizada, centrada e com uma alta capacidade de não ser vítima de si mesmo

Resiliência e paciência

A resiliência e a paciência são duas qualidades extremamente importantes para toda pessoa que deseja ter uma vida um pouco mais equilibrada. A resiliência nos ensina que não devemos perder a compostura com os problemas do dia e dia e que provavelmente o desgaste emocional que você tem com pequenas coisas, no final das contas não vale a pena. A resiliência é sua capacidade de voltar ao estado de tranquilidade interior o mais rápido possível.

Eu sei que não é fácil nos mantermos centrados em nós mesmos diante de tantos problemas na vida, entretanto é possível. Comece a olhar como você reage as situações e gradativamente você notará que você não despenderá tanta energia assim em tarefas que desequiliram seu corpo e sua mente.

A paciência é a nossa capacidade de aguardar pela recompensa. Isso mesmo, paciência não é simplesmente esperar sem propósito, mas o sentimento de que em breve receberemos os frutos daquilo que tanto desejamos.

Assim como o bambu leva muito tempo para aparecer na superfície da terra, bons hábitos podem levar m pouco de tempo até que eles estejam sólidos em nossa vida. Por isso, tenha paciência. Faça o que tem que ser feito e aguarde o resultados dos frutos, não desista antes da hora. Saiba que tudo na natureza tem o seu tempo, e talvez sua colheita acontecerá em breve.

O seu refúgio

Como os estoicos nos ensinam, temos pouco controle dos eventos ao nosso redor, porém podemos controlar muito o que acontece dentro de nós.

É urgente que aprendamos a desenvolver a capacidade de auto satisfação interior. Que nós possamos, sempre que necessário, encontrar um refúgio dentro de nós.

Você se sente bem quando está consigo mesmo?

Essa pergunta é fundamental para você começar a contemplar a ideia de se sentir bem consigo mesmo. Independente dos prazeres exteriores, você se sente nem na própria compania?

O refúgio em nós mesmos é o lugar onde podemos nos reconhecer em momentos de grandes tempestades e dificuldades. O refúgio é aquele local de silêncio e introspecção. Faça essa breve prática: sente-se confortável, feche os olhos, e simplesmente contemple a sua própria presença.

Sem expectativas ou desejos, mas simples fique consigo mesmo e aprecie sua compania. Como o passar do tempo você notará que a ida para esse refúgio interior vai se tornando cada vez mais fácil e você poderá, sempre que quiser, passar um tempo com você mesmo, enquanto você aguarda todas as adversidades da vida.