#001 Como aumentar o poder da mente

Receba semanalmente o Cartas Filosóficas no conforto do seu e-email

Uma das coisas que mais me fascina no ser humano é a capacidade de auto reflexão. Em outras palavras, a capacidade de pensar sobre o próprio pensar. Isso parece complexo, né Mas calma, eu vou te explicar direitinho o que é essa auto reflexão e como a falta dela, pode ser o pulo do gato que faltava na sua vida para você tenha uma vida mais consciente com escolhas muito mais sábias.

Só para equalizarmos os termos, a partir de agora eu vou chamar essa auto reflexão de Metacognição. Então, toda vez que eu falar a palavra Metacognição você sabe que ela está relacionada com a auto reflexão, certo

Cognição é um processo complexo da mente que está relacionada com as habilidades de adquirir conhecimento e compreensão. A cognição precisa de várias outras habilidades mentais como atenção, percepção, memória, pensamento (capacidade de raciocinar, resolver problemas e tomar decisões) e linguagem. Esse processo de cognição é individual e pode sofrer alterações de acordo com idade, condição de saúde, lesões, drogas, e o próprio uso inadequado dos processos cognitivos, podem acabar prejudicando a sua cognição.

A palavra “Meta”, apesar de ser usada pelo Facebook, já é usada a séculos por diversos filósofos para designar o que vai “além de” ou o que é a “essência de”. Um grande exemplo disso é a palavra Metafísica, que pode ser entendida como a área da Filosofia que estuda o que é a essência do mundo físico ou o que está além das aparências física. No conhecimento popular, Metafísica é confundida com o mundo sobrenatural, pois vai além do natural.

Então, juntando essas duas palavra Meta + Cognição nós temos a capacidade humana de se auto observar em diversos aspectos, sejam eles nos pensamentos, nas ações, nas próprias habilidades e falhas para que então possamos nos autocorrigir ou nos adaptarmos aos acontecimentos do mundo.

Não pense você que só porque você fala, lê ou digita no celular, você tem uma boa Metacognição, muito pelo contrário, o que eu mais vejo, nos dias de hoje, são pessoas que perderam essa capacidade tão importante de se auto observar e se auto corrigir.

Não é a toa que estamos em um período onde Fake News e Realidade estão na boca do povo e cada lado do espectro político acha que o seu lado é certo e o outro é errado. Cuidado! Não caia nesse erro básico como a maioria das pessoas.

O que eu vou ensinar para você não é um conhecimento para ser usado somente na política, porém ele pode ser aplicado para qualquer área da sua vida, seja relacionamentos, trabalho, espiritualidade, saúde e se você quiser, política.

“Uma vida sem ser refletiva não vale a pena ser vivida”

Sócrates

Para você saber se você tem uma boa Metacognição, você deve começar a se questionar:

  • Eu tenho noção de quando começo a ficar ansioso?
  • Eu sou atento quando falo de forma agressiva com as pessoas?
  • Eu consigo perceber minhas limitações e qualidades?
  • Eu sou capaz de revisar um ponto de vista equivocado e corrigir o meu comportamento?
  • Eu vivo uma vida completamente sem controle, torcendo para que as coisas deem certo?
  • Quando eu converso com alguém, eu sou capaz de identificar emoções que vão surgindo no meu corpo?
  • Quando sento para meditar, tenho o controle da minha mente ou ela fica pulando pra lá e pra cá como uma pipa avoada?
  • Quando desejo alguma coisa e tenho um objetivo eu consigo traçar estratégias para chegar até ele ou vou vou fazendo coisas sem pensas e torço para dar certo no final?

Eu poderia ficar horas trazendo inúmeras perguntas para você testar como anda sua capacidade de Metacognição, porém imagino que você tenha tido uma boa ideia da sua capacidade de observar a si mesmo.

Aliás, o tão famoso “Conheça a ti mesmo” na entrada do Templo de Delfos, na Grécia Antiga, provavelmente já apontava para essa capacidade fundamental da mente de se auto observar. Pois como nós vamos “Conhecer a nós mesmos” se não conseguimos nem reconhecer o que acontece na nossa mente e corpo?

O autoconhecimento, que tanta gente fala por ai, não é encher a sua mente de bobeiras esotéricas e misticismo barato, chamando isso de autoconhecimento.

Autoconhecimento é um processo profundo e trabalhoso de Metacognição.

Já que estamos falando de Observar a Si Mesmo, não posso deixar de citar o filósofo Schopenhauer. Ele tem uma frase que me fascina já a muitos anos: “Chamamos de destino as asneiras que cometemos”. Olha que frase e conhecimento mais genial!

Nós temos a tendência em achar que nosso destino é fixo e fechado, por isso temos a ilusão de que temos pouco controle sobre ele.

Aliás, quem tem pouco controle sobre o próprio destino, já de cara percebe que não é uma pessoa que conhece muito bem a si mesmo e não sabe fazer uso do poder da Metacognição.

Mas voltando para o Schopenhauer, se você não tem a capacidade de usar a Metacognição para observar os seus pensamentos e ações, é obvio que você tomará decisões erradas e isso certamente vai se refletir em um futuro com dor e sofrimento. Por isso Schopenhauer dirá que o que chamamos de destino são as asneias que cometemos na vida, em outras palavras, se você não corrige suas ações, quando chegar o resultado delas, não chore pelo destino, pois você está apenas colhendo o que plantou, ou em muitos casos, não colhendo nada, porque não plantou nada de positivo.

Dá pra entender o que eu estou falando?

Ao invés de perder tempo com essas teorias complexas de reencarnação, karma e destino, não é melhor a gente focar as nossas energias onde nós realmente temos controle?

Em nós mesmos!

Metacognição é uma capacidade muito especial que o ser humano tem, não a desperdice vivendo uma vida completamente inconsciente, imerso em teorias da conspiração e mensagens de origem duvidosas encaminhadas em grupos do WhatsApp. Pare de ser um robô e desperte!

Olhe pra dentro de si e veja quais são as cordas que te manipulam, mas realmente olhe pra dentro de você e se observe. Nada está fora, tudo está dentro de você, tudo!

O Mundo é minha Vontade e Representação. Schopenhauer! De novo!

Para você compreender melhor sobre o que é Metacognição, eu gostaria de dividí-la em algumas parte que eu penso que irão te ajudar a entender de uma forma mais completa.

A Metacognição pode ser dividida entre:

  1. Conhecimento Metacognitivo
  2. Monitoramento Metacognitivo
  3. Regulação Metacognitivo

1. Conhecimento Metacognitivo

a. Conhecimento sobre si mesmo: é a capacidade de compreender as suas habilidades, quais são os seus pontos fracos e fortes? Quais são suas limitações? Quais são suas qualidades? Você tem noção de qual forma você aprende melhor?

b. Conhecimento sobre a tarefa: Você consegue compreender uma tarefa que você precisa fazer? E principalmente, você consegue traçar estratégias para executar essas tarefas levando em consideração o que você sabe, o que precisa aprender ou o que precisa melhorar? Esse tipo de metacognição é aquele famoso “Eu quero fazer coisas mas não dou conta”. Por isso sempre se pergunte: eu tenho condições de fazer aquilo que eu quero? Se sim, quais passos eu preciso tomar para que isso se concretiza?

c. Conhecimento sobre as estratégias: Você tem noção de quais conhecimentos você precisa aprender para conseguir executar uma tarefa.

Vou dar um exemplo clássico: Você quer aprender meditação, ok? Quais perguntas você deveria se fazer ou quais habilidades de metacognição você deveria usar

  • Como funciona a minha mente? Ela é tranquila? Eu consigo me concentrar?
  • Se não, em quais circunstâncias minha mente se torna mais agitada?
  • Quais são os meus pontos fortes e fracos em relação a atenção e concentração?
  • Quanto tempo eu consigo me concentrar?
  • Eu conseguirei fazer uma rotina de 1 hora de meditação todos os dias?
  • Eu tenho habilidade mental para meditar por 1 hora, todo santo dia?
  • Quais são os passos da meditação que eu preciso seguir?
  • Eu sei o que é meditação?
  • Se eu não sei, onde eu poderia encontrar alguém que me ensine sobre a meditação?
  • O que eu busco na meditação? Levando tudo isso em consideração, qual o tipo de professor que vai me ajudar a alcançar esse objetivo?
  • Já que eu quero conseguir acalmar minha mente através da meditação. Qual é o primeiro passo que eu preciso dar para iniciar essa jornada?
  • Como eu vou saber se eu estou meditando corretamente?
  • E por ai adiante

Você consegue perceber como uma metacognição, bem aplicada, te dá uma visão muito mais profunda da meditação do que somente uma visão rasa em acreditar que a meditação é apenas um processo de fechar os olhos? Se você é uma pessoa que tem uma metacognição fraca, fica aqui comigo que eu vou te ensinar algumas técnicas para você melhorar essa habilidade.

2. Monitoramento Metacognitivo

Aqui você vai usar toda potencia da sua mente para avaliar e julgar o seu próprio conhecimento. O Monitoramento Metacognitivo também é dividido em 3 categorias:

a. Avaliar: É a capacidade mental de julgar a sua própria compreensão sobre aquilo que você está fazendo. No exemplo da meditação: quando você recebeu as instruções sobre como meditar, você está aplicando corretamente? O que o professor ensinou, você está aplicando? Você, sequer, lembra o que o professor te disse? Esse processo de avaliar é importantíssimo para que você não arraste erros na meditação por anos a fio, e só perceberá alguns equívocos depois muito tempo.

b. Planejar: Está relacionado com estabelecer as metas, os objetivos antes de iniciar o que você está se propondo. É muito comum alunos de meditação estarem sentados durante a aula e de repente o celular toca. A pessoa não planejou que iria meditar e pra isso precisaria colocar o celular no silenciosoc.

c. Regular: Quando você inicia algo, você terá mais dificuldade ou facilidade do que você inicialmente imaginou, o Regular se trata de observar o quão bem ou mal você faz aquela função e a partir disso você adaptar seu comportamento para otimizar o que você está fazendo. No nosso caso da Meditação, se você sente que não está dando conta de meditar por 1 hora, que tal reduzir para 10 minutos? Uma pessoa com pouco conhecimento de si mesmo, dificilmente fará essa regulação pois o ego não permitirá que ela mude ou altere a execução do plano original.

Veja, o Monitoramento Metacognitivo é extremamente importante para toda prática da espiritualidade, pois você encontrará obstáculos no meio do caminho que você sequer imaginava que estariam presentes e será justamente essa habilidade de analisar, planejar e regular que fará com que você consiga se desenvolver na espiritualidade de forma consciente, profunda e segura. Nunca subestime a capacidade de adaptação que é exigida no processo de despertar.

3. Regulação Metacognitiva

a. Flexibilidade: Não basta somente avaliar e planejar, nem tudo sai da forma como pensamos, por isso ter flexibilidade é um passo fundamental na Regulação Metacognitiva. Você terá obstáculos, dificuldades e provavelmente precisará encontrar alguma alternativa para adaptar a execução de algo, a Flexibilidade é exatamente isso, a capacidade de adaptação aos imprevistos e dificuldades que vão surgindo ao longo da vida. Existem pessoas que planejam uma coisa, e mesmo que tudo esteja dando errado, ela não consegue flexibiliza o plano, é quase como se ela fosse incapaz de avaliar a situação do momento e fazer adaptações.

b. Persistência: Nem tudo é um mar de rosas, muito provavelmente durante sua prática você terá momentos de cansaço, desânimo ou simplesmente falta de foco. Já dizia o sábio indiano Patanjali: ”não se consegue nada sem a prática, persistência e fé”. Persistência é justamente isso, manter-se firme no propósito sem perder o foco ou desanimar. É claro que quando não conseguimos atingir os altos estados de consciência, nossa tendência é desistir logo de cara, mas calma, respire e persista.

c. Atribuição: Se você conseguiu fazer aquilo que você se propôs ou não, é importante que você consiga reconhecer o sucesso ou o fracasso. Encontrar os pontos de melhora para então da próxima vez ser capaz de executar melhor. Um processo de Samadhi na meditação nunca é alcançado na primeira vez, você precisa aprender a revisar a sua técnica toda vez que meditar e ir aperfeiçoando gradativamente suas habilidades mentais. Entende porque o processo de Metacognição é tão importante? Pois você precisa conhecer a si mesmo para então ir fazendo as melhorias na sua prática.

Se você chegou até aqui comigo provavelmente você deve estar se perguntando: nossa, mas eu preciso realmente de tudo isso para desenvolver minha espiritualidade?

E a resposta é: simmmmmmmmmmmm

Se você não é capaz de conhecer a si mesmo, como você quer corrigir os erros da sua mente? Tudo isso que eu falei sobre metacognição, eu não estou tirando de vozes da minha cabeça, isso existe dentro de você. Na verdade, isso já acontece com você o tempo todo, nesse exato momento você provavelmente está observando os pensamentos que estão acontecendo na sua mente. Porém, como eu disse no início do nosso papo, você está dormindo, inconsciente e é preciso despertar.

Pra você despertar, você precisa se dar conta dos processos que acontecem na sua mente. E não somente ficar queimando incenso, fazendo mãozinha de namastê e abrançando árvores. O Autoconhecimento do Despertar é trabalhoso.

Depois de toda essa parte teórica, alias, existe um grande mito sobre a parte teórica das coisas. Pessoas acham que a teoria não serve pra nada, achando que a teoria é só questão de memorização. Não seja mais uma dessas pessoas que fala esse tipo de bobagem. A teoria é importante para que você não cometa erros bobos e fique durante anos patinando em uma prática sem ter resultado satisfatório.

Se você começar a observar o que acontece no seu interior, você fatalmente começará a se corrigir e o despertar vai se aproximando cada vez mais.

O processo de metacognição ou observação séria de si mesmo, faz com que você seja praticamente o seu guru. Você será capaz de ficar com sua mente extremamente afiada em diversos aspectos, e pode confiar em mim quando eu te falo isso. Se você começar a realmente prestar atenção nos seus pensamentos, nas suas emoções e nas suas ações, você terá um poder que raras pessoas tem, o de controle sobre si mesmo.

Você deixará de ser vítima do destino, achando que sua vida não está nas suas mãos ou que você é simplesmente mais um número nessa dança aleatória cósmica.

Nada nesse mundo mudará você, se você mesmo não desejar, NADA.

Eu falo isso com bastante seriedade, porque pessoas com frequência gastam horrores de dinheiro em cursos on line ineficazes, retiros, viagens, cristais, roupas, etc etc mas esquecem do fundamental: o olhar para dentro.

Se você conseguir colocar em prática 10% do que eu estou te falando aqui, você vai estar avançando meses, senão anos de terapia, pois você poderá fazer uma auto terapia quase que 24hrs por dia. Sempre que quiser, você poderá reavaliar os seus pensamentos e corrigi-los, quando achar que não está adequado.

Uma grande vantagem que você terá quando começar a observar a si mesmo, usando as técnica que vou te ensinar já já, é que você desenvolverá uma capacidade absurda de conhecer o comportamento humano.

Essa capacidade vai te dar a possibilidade de navegar muito melhor na vida.

Hora da prática

Vamos lá! Depois de ter te ensinado sobre a Metacognição e como ela pode te ajudar no seu despertar espiritual, eu quero te dar várias técnicas para você usar ai no seu dia a dia.

Essas técnicas parecem simples mas se você as aplicar, você descobrirá coisas que você jamais perceberia de outra forma.

Você pode usar elas quantas vezes quiser durante o dia e quando quiser.

Bom, como eu te falei, existem 3 grandes áreas da Metacognição, só te relembrando:

  1. Conhecimento Metacognitivo: conhecimento sobre si mesmo, conhecimento sobre a prática e conhecimento sobre as estratégias.
  2. Monitoramento Metacognitivo: Avaliar, planejar e regular.
  3. Regulação Metacognitiva: Flexibilidade, persistência e atribuição.

Antes de mais nada, todas as técnicas envolvidas aqui, você precisará fazer um esforço mental, ou seja. não existe nenhuma pílula mágica que vai melhorar a sua mente, isso é um trabalho que você precisará fazer em você mesmo.

1 – TÉCNICA DA LANTERNA

Imagine que suas emoções, pensamentos estão no escuro da sua mente e corpo, e para isso você precisa colocar uma lanterna (atenção) na direção desses pensamentos. Você pode nomear quais os sentimentos que está sentindo nesse exato momento, de 0 a 10 qual é o seu nível de ansiedade? Você está com os pensamentos organizados? Está se sentindo triste, feliz, ansioso, melancólico, colérico, excitado?

Sempre que possível nomeie os seus estados internos, nunca permita que uma emoção roube a energia da mente sem que você tenha conhecimento. E aqui eu não estou falando para reprimir as emoções, de forma alguma, o que buscamos aqui é o reconhecimento, como falamos no ditado popular “Dar nome aos bois”. Sempre que possível use a técnica da Lanterna para conseguir ver com mais clareza o que está acontecendo no seu interior.

2 – TÉCNICA DO ARRUMANDO A MOCHILA

– **Técnica do Arrumando a Mochila:** Antes de você embarcar em uma nova aventura, você precisa saber o que você tem, o que precisará e como será o lugar que você, metaforicamente vai viajar. Se você vai para a floresta, não faz muito sentido levar roupa de praia e guarda sol, entende?

Antes de iniciar qualquer atividade, se pergunte: quais são as habilidades necessárias para executar essa prática? Eu tenho todas? Senão, qual é o caminho que devo percorrer para conseguir essas habilidades? O que eu tenho de habilidades é suficiente para executar determinada ação? Lembre-se do exemplo de viajar para a montanha e levar roupa de praia e guarda sol. Sempre tenha isso em mente. Se você fizer essa checagem metacognitiva das suas habilidades, você poderá estimar melhor suas habilidades e fragilidades.

3 – TÉCNICA DA ÁGUA

– **Técnica da Água:** uma das características mais interessantes da água é a sua capacidade de adaptação ao meio em que se encontra. Se as temperaturas estão elevadas, a água passa de estado líquido para gasoso. Se as temperaturas estão baixas, ela se solidifica. Lembre-se, a água se adapta ao meio em que está.

É justamente essa habilidade de observar o meio (obstáculos, facilidades, imprevistos) e ir se adaptando que trata essa técnica. Sempre que você estiver fazendo alguma coisa e sentir algum ruído (interferência), se pergunte: tem algo que eu possa fazer para me adaptar melhor à esses acontecimentos? Será que eu estou inflexível diante de uma situação X? Da mesma forma que o rio tem o objetivo de chegar até o mar, e ele vai dando voltar, contornando montanhas e obstáculos pelo caminho, você deve olhar suas ações assim. Vale a pena insistir em querer atravessar uma montanha por dentro, quebrando tudo ao redor, mesmo que isso acaba com você, ou vale a pena ser flexivel e encontrar formas de contortar, reajustar, adaptar e flexibilizar os obstáculos?

Essa técnica da Água vai te ajudar a reajustar sua prática sempre que você encontrar uma dificuldade ou obstáculo no caminho, isso é vital se você quer realmente se aprofundar na espiritualidade, pois você conseguirá corrigir erros de percurso logo que eles surgirem.

Somente com essas três técnicas você já conseguirá ter uma melhoria de vida significativa e eu tenho certeza de que você estará mais consciente dos seus pensamentos, sentimentos e como funciona o seu mundo interno.

Essa capacidade de Metacognição é uma habilidade que você pode usar para as mais diversas áreas da sua vida, desde uma simples leitura de livros até uma prática de yoga profunda onde você precisará revisar os vrittis da sua mente. Mas isso será assunto para um outro momento.

Paz no coração e tranquilidade de razão,

Rudra Das

 

 

Receba semanalmente o Cartas Filosóficas no conforto do seu e-email

Yogi Rudra Das

Rudra Das é graduado em Ciências do Yoga e Naturoterapia pela Maharishi Dayananda Saraswati na India, Mestre em Yoga pela Jai Narain Vyas University, Jodhpur – India. Com uma curiosidade e sede de saber ele começou a cursar outra graduação em Filosofia no Brasil (Uninter) e uma Pós Graduação em Filosofia Clínica, para que então a sabedoria oriental pudesse ser implementada da forma mais harmoniosa possível com o pensamento ocidental.